Cactus Poemas

Mostrando postagens com marcador Cartas de Amor. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cartas de Amor. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Cartas de Amor





Cartas de Amor


Mais uma bela mensagem de amor



Carta 1

Nessa carta, quero te falar tudo o que sinto e mostrar a imensa felicidade que você me traz. Tenho bastante medo de gostar tanto de alguém assim e me magoar depois, mas gosto de viver o agora! E o meu agora é você!
Toda vez que penso em ti, te vejo como um presente que Deus me mandou para preencher o espaço vazio que havia no meu coração. É difícil de entender, mas sempre que estou ao teu lado, me sinto a pessoa mais feliz e especial desse mundo.
Todos os momentos, nossas viagens, nossas risadas, exatamente tudo é perfeito! Basta eu estar ao seu lado que topo ir até o fim do mundo, pois sei que terei alguém para contar até nos momentos mais difíceis da vida.
Saiba que te amo muito e não há ninguém tão especial quanto você em minha vida!
Beijos!



Carta 2

Escrever essa carta não é muito fácil para mim, até porque não sou de expor tudo o que sinto, principalmente no papel. Talvez para você, amar não seja algo complicado, mas para mim, foi muito difícil descobrir o verdadeiro significado do amor.

Desde a primeira vez que te vi e ouvi tua voz, senti algo estranho acontecendo dentro de mim, no começo achei que fosse mera coincidência, mas depois vi que aquilo era algo que eu não podia explicar e nunca havia sentido anteriormente por ninguém. Só de olhar para ti, meu coração começava a bater mais forte e um sorriso brotava do meu rosto, como se eu estivesse vendo um anjo.
Você para mim é um amigo, um amor, enfim, é alguém com quem quero dividir toda a minha vida. É com quem quero passar minhas maiores alegrias e suportar as maiores tristezas.
Lembre-se: onde quer que você esteja, em qualquer distância, sempre estarei lembrando de ti e te esperando! Pois você é o amor da minha vida!
Te amo!




terça-feira, 9 de outubro de 2012

Amor Platônico




É tão gostoso quando a gente vê quem ama
coração salta, machuca o nosso peito
E fixa os nossos olhos nesse alguém...
pensamento voa nas asas da ilusão
Regressa e fica aprisionado, 
Entre paredes de um mundo solitário e triste

Os olhos continuam contemplando 
O delicioso movimento do corpo
O gostoso sorriso,
Os cabelos soltos ao vento...

O teu cheiro suave chega, provoca, excita e acalma
Algumas vezes, em teus olhos
Percebo um lampejo de paixão
Naquele breve momento 
 
Sonho que é por mim esse sentimento
Mas acordo, 
Quando palavras de carinho
Da tua boca não são pronunciadas
E vejo
Que aquele sentimento era por outra pessoa...

Meus olhos nos teus viajam e te pedem um beijo
Mas a porta do teu coração, pra mim está fechada
E você não percebe...

O teu sorriso é lindo
E quantas vezes pedi,
Sem você ouvir
Que um só fosse pra mim,
Mas nenhum me pertenceu...

A tua pele é suave,
Teu rosto gostoso de tocar com os lábios
Cada vez que beijo as tuas mãos
Peço para que elas me abracem,
Mas tu não ouves e não sentes
 

Em nada adianta tanto amor dedicado
Se ele não é abraçado,
Pelo contrário, 
Sempre é ignorado.
 
Juarez Florintino Dias Filho
 


17/07/2005

segunda-feira, 3 de setembro de 2012


Aceitar a distância que nos separa está a cada dia mais difícil. Vem-me todas as horas a lembrança de teu corpo maduro, de teu gosto de fruto pronto a se colher... Ah, todos os dias ouço em meu coração teu nome_ tão perto de mim, tão no caminho de meus desejos
Sei que estou com um anseio infinito de te ver... de me encontrar em teus braços. Como não sonhar? (Tu me disseste que o impossível acontece...) Este anseio me arranca de um mormaço a que falto me entregar todos os dias... Talvez eu esteja entre o sonho e a realidade; invento um mundo onde posso te encontrar, mas é este mar imenso que nos separa
Estou em águas de enchentes. Sinto-me meio submersa entre o que vivemos e o presente _ o que ficou foram nossos momentos de amor. Deito meus olhos até onde os sonhos alcançam, até onde a esperança vive... Que mal há em sonhar
Sonham os homens todos os dias. Esperam, mesmo os pequeninos, por um amor inesquecível. Vozes de crianças cantam a esperança; meninos e meninas brincam mesmo que esteja chovendo... Por que não posso guardar o que sinto por ti para sempre
Quando olho para o tempo, é setembro. Ah, se me dessem o passado de volta, viveria tudo de novo! Sirvo-me, há quase um ano, do que me lembro: Beijavas meus seios tais frutos bem deliciosos! E comias em vez de popa, de lábios morenos! E tudo, tudo tinha motivo para mais beijos
E não há dia em que não te sinta dentro de mim: do olhar a flores nos campos ou às aves que cruzam o firmamento. E tudo isso é amor. De qualquer que seja a realidade. De um coração de mulher ou da natureza
E sei... há um barco nalgum lugar esperando por nós... Depois de uma enseada, quando entardecer, até que me acabem os dias... Nalgum lugar há de se juntar a alma minha à tua


Este beijo da felicidade é o que procuro.

Ah, noite de luar! Caminha-se por entre estrelas, tão calmas, tão cheias de luz! Pena que na hora de dormir, fecha-se a porta e a cama está fria!

Não procuro um amor com esse brilho inigualável das estrelas, bastaria o fulgor de dois olhos procurando o caminho de minha pele morena... de meus sentidos... que me enlaçasse no calor de uma noite de verão!

Nenhuma canção de seresteiro me tocaria mais a alma, que as mãos amadas na superfície de minhas pernas.. no desenho audacioso de meus seios... ou em concentração da descoberta de meus lábios.

Como um vento macio debaixo de meus lençóis, furtando arrepios de meu sangue – que quero um assim amor não nego! Ofereço a este amor meus segredos, guardados para além dos encantos das histórias românticas, dos livros de princesas... Para além dos avisos de que só se é feliz por um instante

Quero é escrever minha história no alimento de um beijo deste amor... entre os pelos de meus gemidos... ou no agasalho de seu coração.

E quero deste amor que procuro, que pode ser sem explicação ou nomes, um eterno sentimento de uma vida inteira

Meu beijo


Agora que te achei, sinto uma sombra macia dentro de meus segredos. Não há como ter medo do amanhã. Encontrei-te, e meu coração não está mais perdido.
Agora, posso voltar a gritar que amo... Agora posso sentir meu sorriso inteiro para a vida.
Meus olhos pedem-me que eu não esqueça nada – do tamanho de teus beijos correndo por minha boca, do cheiro de tua pele encostada à minha e do doce frescor de teus dedos em meu corpo
E quando todos descobrirem que a noite é nossa? Que a lua afasta os pés de nossa janela com olhos brilhantes? E que as estrelas silenciosas de nossos gemidos, jamais negam que o infinito também nos pertence
Mas nada disso te é estranho, quando eu já falei em tons de viagem:

Um dia, não muito longe
eu serei envolvida por teu beijo ardente
debaixo de uma chuva de sentidos.
E para me enxugarem os pés e a cabeça
terão de me cobrir de terra
ou esperar que o tempo se acabe

O meu beijo


Com palavras quase inertes e olhar triste, digo-te que esta carta não leva apenas minha voz- mas minhas mãos, meu rosto e meu corpo em cada linha
Estamos distantes, como podemos conversar se já não nos entendemos Vê que não falo de espaço geográfico. Maior é a distância provocada pela mágoa do que me disseste ontem.
Não, não posso controlar minha voz. Meu coração encontra este vazio que há dentro de mim, e preciso dizer do que sinto. A dor é inexorável. Quando me leres saberás que não me converti em lágrimas, mas num enorme espaço entre os sonhos de amor e nós.
De muito longe avisto teus olhos, tuas mãos e teu corpo sobre o meu. Nesta tarde, nesta sala não há histórias de amor. O vento que entra por minha janela é frio de calor. As árvores estão paradas de sentimento. Tudo é imóvel. Estou sentada com os olhos distantes, sem nada ver.
E tudo corre seguramente para o fim do dia. Em redor das horas, o que perdemos. Eu te perdi.
E eu que me vi, em teus braços, como a imagem de uma flor
Mas sigamos tu me disseste
ADEUS


Uma enorme calma n’alma repousa em meu dia. E meus olhos postos na serenidade das árvores acalmam-me ainda mais.
Mas meu corpo está sedutoramente frenético! Com meus pensamentos em teus versos de amor (lembras do poeminha romântico?), ondulo meus lábios com vontades de te beijar. E assim, meus olhos parecem-me girar no corpo sentindo carícias de tuas palavras. E como as aves levantam voo nesta tarde, deixo meus braços flutuarem como se estivessem descansando em teu peito. É maravilhosa a sensação- sinto que fizemos amor
Ora, em horas destas em que os elementos da natureza são de uma harmonia, tal minha alma, apanho o calor da tarde e encho meu coração de bocas, de gritos nossos. E tomo os rumos de uma lembrança gostosa, de noites em que ficamos debaixo de lençóis nos amando
Ah, as duas cartas que recebi de ti foram postas na mesinha ao lado da cama. Estão lá para serem lidas e relidas toda vez que eu me sentir longe de ti. Sei, sei que eu devo é olhar para o dia e buscar sentir esta natureza toda que me envolve ou ficarei aqui com vontades imensas de beijos teus. Bem, tenho mesmo de refrear meus pensamentos ou acabo com a quietude dentro de mim.
Mas em algum lugar canta um pássaro triste com saudades de amor. E tomo as liras dele para te dizer que estou saudosa. Muito. Ainda nos veremos novamente
Um dia atrás do outro... e uma coisa de cada vez. Foi maravilhoso o momento que vivemos. Porém, a vida nos separa. Sim, e enxugo minhas lágrimas sentindo a calma da tarde.
...

O meu carinho


Hoje é tarde de domingo e eu estou esboçando um novo sonho. Minha ideia de passear em julho tem se tornado a cada dia mais forte. Não é a primeira vez que me pego planejando uns dias num sítio, como em minha infância
Eu vejo a mim mesma com um vestido leve, sandálias de dedo e cabelos curtos ao vento (como sempre). Sei que a vista de todo o lugar será agradável e convidativa a caminhadas ao amanhecer. Haverá flores silvestres brancas e amarelas (sei que são as predominantes nas matas nesta época). A noção de banhos nesse horário é uma lembrança gostosa de quando eu era criança
As férias parecem ser o único assunto dos professores na hora do recreio, ao menos os da escola em que trabalho. O assunto surge também na lanchonete onde tomo meu sorvete (lembras, João, que prefiro o sabor goiaba?), na pracinha e, até mesmo, na igreja. Outro domingo, minha cunhada Amparo soube que pretendo sair de férias para um local tranquilo e se convidou a ir comigo. Aceitei certamente. Ela é uma excelente companhia para esse tipo de ambiente – não é a primeira vez que saio com ela a passeios
E me seguro para não comparar os dias que ainda terei até a data com os das férias, quando estou sozinha em minha varanda como hoje. Mas enquanto elas não chegam, pesquiso na memória alguns possíveis lugares no sul do estado do Piauí. No que diz respeito a rios, há em várias cidades pequenas – bem o que quero.
Balanço a rede com um dos pés na parede, perguntando-me por que não tiro um cochilo e sonho com minhas férias


Hoje mais que nunca senti vontade de te falar. Sei que tem a ver como me encontro
Olha, ando muito solitária. E que minha solidão não seja diária, é o que peço em minhas orações
Quando passo por lugares onde estivemos; quando me lembro da ternura de teus olhos sinto-me mais e mais precisa de ti. E é inútil fingir que te esqueci.
Às vezes, repito, em pensamentos, nossas conversas. Quero descobrir o porquê de teu silêncio. Que eu saiba, mesmo que na hora da despedida eu te disse que te amava
Estou sendo repetitiva? Que importa?
Sou louca por ti. E sinto cada vez mais que não posso te esquecer.
Ai, e que Deus não faça com que esta solidão me destrua.
Que Ele me dê forças para continuar seguindo...

O meu beijo a ti

Hoje quero saber de ti. Na verdade a noite de repente se tornou triste Caíram meus olhos num pranto manso e deixaram um vazio dentro em mim.
Momentos assim, eu espio minha alma pra ver os buracos que se fundaram em meu peito. E para puxar um pouco de luz ou mesmo assentar meus olhos em algo bom, busco tua imagem, de quando estivemos juntos.
Dias inteiros e bonitos, dos largos passeios com tua voz a dizer-me que o amor quando habita entre os poetas é para sempre Muito além de nossos dias, da distância que nos rouba abraços e beijos
Mas minha mente sabe que quando as flores se desembrulham na primavera... Elas ficam extremamente radiantes de vida e não precisam ouvir que sempre serão lembradas, que o perfume delas será interminável
Têm mesmo dias que queremos viver novamente o que passou E adormecemos como se o tic-tac do relógio parasse

O meu beijo
Desisti de saber o porquê de tua partida
E cerrando-me os olhos, sonhei
Com um rosto aberto de paixão
Que o frescor da tarde e o hálito do vento
Possam te fazer respirar de flores
Estas que nutrem as ilusões da vida
E povoam os corações amantes
De íntimo ardor profundo
Ante essas mesmas flores me encontro
;